Show Melina Mulazani e Luciano Faccini – Brasis no Paiol

Fotos: Vincius Grosbelli

Luciano Faccini e Melina Mulazani se conheceram num cabaré de rua, com um bando de artistas reunidos para saudar Gilda, uma travesti lendária de Curitiba que ficou conhecida por andar pela cidade pedindo um trocado ou um beijo e por ter sido assassinada de forma violenta; e Maria Bueno, uma costureirinha degolada por seu suposto amante, santa milagreira não canonizada.

Gerações diferentes, os dois artistas de encontraram em um momento de grande impulso e vontade criativa, houve uma identificação, uma admiração mútua, uma química musical. Figura muito importante nessa fusão é o poeta Luis Felipe Leprevost. Desde o início, firmou proximidade com o teatro e a performance.

O trabalho já circulou por diversos ambientes e modos de apresentação, tendo passado por shows em salas, festas pequenas, festivais independentes e ocupações políticas e culturais no Paraná, em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro. Este movimento processual de apresentações tem sido muito importante para a gestação do álbum e, ao longo dessa experiência, ajudou o trabalho a amadurecer junto da visão de outros artistas, o que nos renova, nos desloca e amplia a percepção.

Uma história úmida é fruto de uma necessária vontade de falar das relações, da vida no presente, de um sentir explodido pra além dos limites do que o mundo cobra e estabelece! O show contou com a participação de Amira Massabki, Luis Otávio Almeida e Fabio Julio de Lima.

Produção: Santa Produção e Fineza Comunicação e Cultura Apoio: Restaurante Mezanino das Artes, Bar Jacobina e Blog Tudo o que você (ou)vê Incentivo: Prefeitura Municipal de Curitiba e Fundação Cultural de Curitiba.

(Para ver a foto ampliada, basta clicar na imagem)

Fotos: Vincius Grosbelli

 

Comente!